26-06 FOTO FIER

Fier acredita que o governo federal deva estudar outras fontes geradoras de energia para Roraima

A construção da Usina Hidrelétrica do Bem Querer é o tema de debate aberto pelo Fórum de Energias Renováveis de Roraima. Para isso está convidando toda a sociedade civil organizada, empresários, sindicalistas, organizações não governamentais e todos os cidadãos de Roraima para darem sua contribuição nesse debate.

Todos os aspectos positivos e negativos estão em debate e no final o Fórum vai dar sua parcela de contribuição e se posicionar. O coordenador, Alexandre Heinklain, disse que o objetivo é saber se a Usina Hidrelétrica do Bem Querer vai ‘caber’ nessa matriz energética ou não. “E caso não caiba, vamos acenar para quais as alternativas hidrelétricas ou de outras fontes de energia, que poderão ser consideradas de tal maneira que esse objetivo da segurança e da estabilidade energética seja atingido com ou sem a Hidrelétrica do Bem Querer”, revelou.

A Federação das Indústrias de Roraima (Fier) lembra que Roraima está em meio a um grande impasse. Ele explica que de um lado vem a necessidade, a urgência de uma fonte de geração de energia que garanta a contrapartida necessária ao Sistema Interligado Nacional, e de outro, custo do projeto da construção da Hidrelétrica do Bem Querer, tanto do ponto de vista econômico, quanto ambiental.

“Em paralelo, não vemos avançar as obras de interligação da rede entre Roraima e Amazonas, o que abre um precedente para que os órgãos competentes repensem e até coordenem esforços para a implementação da usina em outras áreas com maior potencial de geração e menor impacto para o meio ambiente, produtores e moradores”, destaca a Fier.

A Fier lembra, também, que é necessário considerar outros modelos mais baratos, sustentáveis e de menor grau de complexidade, como fontes as renováveis para a geração de energia. “Essa soma, ou complementariedade, seria capaz de atender a demanda reprimida e permitir a expansão produtiva do nosso Estado”, concluiu a Federação.

O papel do Fórum é propiciar às pessoas, mesmo dentro de suas casas, a possibilidade de dialogar, ouvir e formar suas posições dentro desse processo. Primeiro com matérias informativas, depois as enquetes alternativas e finalmente os debates.

Por Nei Costa

Foto – Fier

Compartilhar