18-11 FOTO MATÉRIA NEUZELIR

Agência Alemã investe em pesquisas para armazenamento de energia na Amazônia

Um dos maiores desafios em investir em energia renovável, eólica ou solar, está em viabilizar o armazenamento, considerando que essas fontes são intermitentes, dependendo da insolação e da velocidade do vento.

A implantação de parques de baterias químicas, por exemplo, é uma alternativa importante para o armazenamento da eletricidade gerada a partir do vento e do luz solar.

Acredita-se que esse tipo de estoque pode minimizar o uso de gás e petróleo em momentos de necessidade, tornando a matriz elétrica do país mais renovável.

Em busca de soluções, a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ, sigla em Alemão), está trabalhando com professores das Universidades Federais de Santa Catarina e da Bahia, para identificar projetos de geração fotovoltaica, associada a armazenamento eletroquímico.

A GIZ é uma agência especializada em projetos de cooperação técnica e de desenvolvimento sustentável em escala mundial, e vem subsidiando pesquisas no Brasil para a geração de energia e o armazenamento por meio de fontes renováveis.

Ricardo Rüther, professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina, destacou que projetos como esses são importantes para solucionar questões relacionadas com a intermitência da geração de energia solar e eólica.

“Para fixar essas fontes, o uso de sistemas de armazenamento de energia é fundamental. Eles trazem principalmente mais garantia de confiabilidade, reduzindo o risco para quem opta por essas fontes renováveis, seja solar ou eólica”, pontuou.

O leilão de sistemas isolados previsto para ser realizado pela a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2021 irá beneficiar 23 localidades da Amazônia. Uma ótima oportunidade para desenvolver projetos que foquem no armazenamento de energia, já que o edital do certame prioriza a geração de energia por fontes renováveis.

As empresas interessadas em desenvolver projetos de geração de energias renováveis, associados a armazenamento, poderão contar com o apoio dos pesquisadores e ainda receber subsídios para a implantação e operação dos projetos.

O Fórum de Energias Renováveis de Roraima foi procurado pelos pesquisadores para conhecer as propostas. Conforme o coordenador, Alexandre Henklain, o propósito da GIZ é identificar na Amazônia, e em particular, em Roraima, sistemas isolados, onde seja interessante promover a substituição de fontes poluentes e de alto custo, por geração fotovoltaica, associada a baterias de última geração.

“O plano é substituir usinas que funcionam, por exemplo, à base de diesel, por essas fontes renováveis de geração de energia elétrica, buscando soluções de armazenamento tecnologicamente inovadoras. Também poderá ser feita uma comparação de custos entre as duas fontes, avaliando impactos ambientais, econômicos e realizando análises comparativas de eficiência energética e qualidade da energia fornecida”, disse Henklain.

A tecnologia das baterias de armazenamento vem evoluindo aceleradamente e, em curto prazo, uma nova geração de baterias estará disponível no mercado, pois a busca dos pesquisadores de todo mundo é a produção de baterias menos onerosas e mais duráveis, o que vai reduzir o custo de armazenamento eletroquímico.

Foto: Internet

Por Neuzelir Moreira
Compartilhar