mario alcantara BB

Banco do Brasil oferece linhas de crédito para financiamento de energia solar

O mercado de energia solar está crescendo a cada ano e as instituições financeiras estão se adaptando para oferecer linhas de crédito acessíveis para os interessados em diminuir suas contas de energia no final de cada mês.

O Banco do Brasil oferece várias linhas de financiamento de energia solar com taxas e prazos atrativos para empresas urbanas, rurais e produtores do campo conseguirem adquirir e instalar usinas de energia solar para gerar a sua própria energia e economizar na conta de luz.

O Fórum de Energias Renováveis de Roraima vem apresentando uma série de informações que podem ajudar os leitores a investir em energia solar. Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que a cada ano torna-se mais vantajoso para as pessoas investirem em um sistema de placas solares (sistema fotovoltaico) para gerar a própria energia e, assim, conseguir economizar até 90% na conta de luz.

Apesar dos preços dos sistemas estarem diminuindo, muitos ainda creem que o valor do investimento é alto, o que acaba sendo uma informação que merece ser checada.

O superintendente do Banco do Brasil em Roraima, Mário Alcântara, afirma que é necessário que as pessoas procurem se informar, pois só assim elas vão ver que o que acreditavam ser praticamente inacessível pode estar ao alcance de todos.

“Hoje, o Banco do Brasil possui diversas linhas de crédito para comprar sua pequena usina, por meio dos nossos planos de financiamento de energia solar”, disse.

Hoje existem tecnologias diferentes quando se trata do assunto. Exemplos é a tecnologia de aquecimento solar e a de energia elétrica fotovoltaica, ambas com linhas de financiamento para a sua aquisição. O sistema de placas solares fotovoltaicas utiliza a luz do sol para gerar energia elétrica e esse é o melhor para Roraima.

Os sistemas solares fotovoltaicos (SFV na sigla) são compostos de placas solares e outro equipamento principal, o inversor solar. As placas instaladas no telhado captam a luz do sol e a convertem em energia elétrica, a qual passa pelo inversor para ser enviada e consumida no imóvel ou então injetada na rede de energia da distribuidora.

A energia injetada na rede da distribuidora é convertida em créditos energéticos, que são usados para abater da energia que foi consumida da rede durante à noite, ou em momentos de pouca geração.

Esse sistema de créditos foi criado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) na sua Resolução Normativa 482, de 2012, que regulamentou o segmento e garante os direitos de quem produz a sua própria energia através de energias renováveis.

Hoje,  milhares de brasileiros sabem que vale a pena investir nessa tecnologia, uma vez que o retorno é rápido e a economia é certa.

Outro fator que deve ser levado em consideração, é que esses sistemas têm uma vida útil prolongada, com as placas de qualidade possuindo garantia de 25 anos sobre 80% de sua eficiência de geração.

Isso significa que mesmo por meio de um financiamento de energia solar de 10 anos, por exemplo, o sistema ainda irá lhe entregar vários anos de energia grátis após você ter terminado de pagá-lo.

Quem optar pela energia solar vai contribuir com o meio ambiente, pois vai produzir energia que não polui e é renovável.

O rápido dimensionamento e instalação dos sistemas e sua baixa manutenção durante sua vida útil são outras das vantagens que levam pessoas a apostarem no financiamento de energia solar.

Isso porque os sistemas fotovoltaicos são dimensionados exclusivamente para cada cliente, projetados conforme a coleta de informações de consumo e geração de cada consumidor.

Média anual do consumo elétrico, níveis de radiação solar local, direção e inclinação do telhado, entre vários outros fatores serão analisados pela equipe da empresa escolhida na hora da elaboração do projeto.

Para a pessoa que deseja conseguir um financiamento do sistema para seu negócio ou empresa, inclusive, o orçamento do projeto é item essencial para se conseguir a liberação junto ao banco.

Financiamento do Banco do Brasil

Mário Alcântara informou que adquirir um sistema de placas solares pode ser considerado um investimento, pois irá trazer um retorno ao seu dono na forma de economia na conta de luz, um dinheiro que passa a ficar em seu bolso todo o mês.

“A forma de pagamento que maximiza e diminui o tempo de retorno é sempre o formato à vista, ou então parcelado sem juros diretamente com a empresa instaladora de energia solar”.

No entanto, completa Mário, para a maioria dos consumidores em busca da tecnologia fotovoltaica, essa não é uma opção, razão pela qual as linhas de financiamento de energia solar Banco do Brasil são tão interessantes e vantajosas.

No caso do Banco do Brasil, são várias linhas de financiamento disponíveis, algumas exclusivamente voltadas para a implantação da energia solar, e que atendem pessoas físicas e, principalmente, pessoas jurídicas (empresas).

“É importante lembrar que, na maioria desses financiamentos, o banco age como uma instituição repassadora de crédito, com os recursos para essas linhas provenientes de fundos do Governo Federal”.

O superintendente explica que os recursos provêm de fundos que o governo libera para os consumidores que desejam instalar energia solar, e são repassados pelo Banco do Brasil através dos programas que ele mesmo cria.

Os valores liberados podem chegar a até 100% do investimento, ou seja, tanto equipamentos quanto a mão de obra completa do projeto e instalação do sistema.

Em todas as linhas o crédito será disponibilizado apenas  para correntistas do BB e contará com condições bem atrativas para a compra e instalação dos projetos de energia solar.

Crédito

O primeiro passo é tornar-se cliente do banco, caso ainda não seja e, então, solicitar a linha de crédito, a qual está sujeita à aprovação cadastral e de crédito.

Os planos são o seguinte: Financiamento Empresarial Urbano; Sistema e Fotovoltaico Comercial Urbano.

Pronaf Agroindústria

Essa é uma das linhas do Banco do Brasil oferecidas com recursos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), criado pelo governo em 1996 e com abrangência nacional.

Destinada exclusivamente a pessoas jurídicas, essa linha oferece crédito para empreendimentos familiares rurais, cooperativas e produtores familiares com atuação na agropecuária, produtos florestais e artesanais e ou turismo rural.

O público é composto de empreendimentos familiares rurais (pessoa jurídica), cooperativas e produtores familiares. A taxa de juros é pré-fixada: 4,6% a.a.

Pronaf Eco

A Pronaf Eco é a linha de financiamento de energia solar Banco do Brasil que atende pessoas físicas com o repasse dos recursos do Pronaf.

O crédito é destinado à investimentos em técnicas que minimizam o impacto da atividade rural ao meio ambiente, bem como permitam ao agricultor melhor convívio com o bioma em que sua propriedade está inserida.

Produtores familiares que apresentem Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), podem adquirir o crédito. Os juros são de 2,5% a.a. para projetos eco e 4,6% a.a. para silvicultura.

Os limites de financiamento vão até 100% do investimento, perfazendo um total de R$ 165 mil. O prazo para pagamento é de até 12 anos, com até 8 anos de carência, dependendo do empreendimento financiado.

Para ambas as linhas Pronaf do Banco do Brasil, a empresa ou produtor rural devem primeiramente conseguir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) junto a um sindicato rural ou empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Para isso, eles não podem estar listados entre os consumidores dos grupos listados abaixo, constante no banco de dados disponibilizado no site do Banco Central do Brasil (BCB) acerca do Pronaf.

Por Nei Costa

Compartilhar