A chamada geração fotovoltaica, além de ser uma opção limpa, representa economia e traz diversos benefícios. – Foto: Donsol

Grupo que defende energia solar sem taxação discute cenário ao vivo

Grupo criado para mobilizações acerca da energia renovável livre de taxações, o MSL (Movimento Solar Livre) realiza, semanalmente, lives com mentoria para líderes e discussão sobre o cenário da energia solar no Brasil. As transmissões podem ser acompanhadas gratuitamente pela internet.

Todas as segundas-feiras, às 18 horas (horário de MS), o grupo faz as transmissões pelo Youtube. Para acompanhar a transmissão desta segunda (4) acesse o link – https://www.youtube.com/watch?v=BE42OvX5pwY&feature=emb_err_watch_on_yt.

O grupo se intitula como movimento sem partido. “Nosso movimento é conhecido por ser apartidário, ter uma visão ampla e liberal quanto à política, à economia e aos costumes”.

 

Fórum de Energias em Roraima defende manutenção de regras para geração distribuída de energia em sistemas isolados

 

O Fórum de Energias Renováveis de Roraima defende a manutenção da resolução 482/2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que trata sobre as regras da geração distribuída, sistema pelo qual os consumidores podem produzir sua própria energia em sistemas isolados, como é o caso do estado de Roraima e outras áreas da região amazônica.

A Carta Proposta da representação foi publicada no site do órgão regulador, e aguarda resultado da análise que deve ocorrer ainda no primeiro trimestre desse ano. Confira aqui documento na íntegra.

Nas regras atuais, quem gera a própria energia, seja solar ou outro tipo de energia limpa, não paga algumas taxas pelo uso do sistema elétrico. A ANEEL defende a retirada desses incentivos, alegando que os custos são distribuídos para os demais consumidores que não aderiram ao sistema da geração distribuída.

Por exemplo, quem produz e consome a própria energia passará a pagar pelo uso da rede de transmissão e distribuição, o que vai de 100% de compensação para uma média de apenas 38%. Se o consumidor paga uma conta de luz de R$ 800, passará a pagar R$ 80. Caso as novas regras sejam aprovadas, essa mesma conta será de R$ 320.

Para especialistas do Fórum de Energias de Roraima, essa mudança proposta pelo órgão regulador traz desvantagens econômicas para o estado, sistema isolado e ainda atendido por geração a diesel. O coordenador do Fórum, Alexandre Henklain, explicou que a contribuição do Fórum de Energias Renováveis veio da constatação feita pelos profissionais e consultores da entidade.

“Os subsídios recorrentes das Contas Consumo de Combustível são bem mais elevados que os subsídios recorrentes do uso das energias renováveis, particularmente da energia solar. Estamos demonstrando à ANEEL que vale a pena manter as regras do jogo sem quaisquer mudanças na resolução 482”, afirmou.

Por Nei Costa

Fonte – Midiamax.com.br

Compartilhar